Projeto IIRSA Centro

IIRSA Centro (estrada Lima – Tingo Maria – Pucallpa) foi reconhecido como o melhor projeto integral da região, no marco do evento internacional sobre projetos de infra-estrutura na América Latina organizados no fim de novembro no Brasil pela CG/LA Infraestructure.

O Eng° Danilo Moyasevich, coordenador do projeto em Pro´-Inversão, destacou o esquema de negócio e financeiro da concessão, que considera um investimento aproximado de US$ 123 milhões para as obras e a manutenção dos trechos viários que conformam o projeto, com uma longitude total de 867,2 km. A maioria dos trechos já está asfaltado.

Assim mesmo, este eixo viário se caracteriza por ser auto-sustentável ao apresentar um alto nível de tráfego e arrecadação por pedágio, que permitirá cobrir os investimentos necessários e custos de manutenção e operação requeridos na utilização da via. Apesar disto e como demonstração do interesse na execução do importante projeto, foi incluída uma garantia de arrecadação mínima por parte do Estado que se espera, não será necessário realizar.

A rota IIRSA Centro atravessa cinco regiões do país (Lima, Junín, Pasço, Huánuco e Ucayali) e beneficiará a 6 milhoes de pessoas, sem contar o impacto que terá com a geração de empregos e desenvolvimento da agro-indústria, mineração e turismo, entre outras atividades.

É considerada como a principal rede viária que conecta as atividades econômicas da serra central com a capital e de grande importância pata conectar a costa do Pacífico com a Amazônia peruana e principalmente através da via fluvial ao Brasil.

Se estima que os 10.000 ha. agrícolas que constituem os vales vizinhos ao corredor viário Buenos Aires – Canchaque, têm a capacidade de produzir cerca de 40.000 toneladas de diversos produtos como café, banana, cacau, feijão, milho e, de forma semi-permanente, cultivos como chirimoya, cana-de-açúcar, granadilla e guanábana, entre outros produtos.

Cabe ressaltar que na zona já se produz e exporta café através da associação de produtores de café – CEPICAFE – e feijão com o apoio do Projeto PRA (Projeto de Redução e Alívio à Pobreza), Prefeitura de Salitral e Processadora S.A.C. Da mesma forma, com a Associação de Governos locais Mancomunidade, foram formadas três cadeias produtivas: de cacau, feijão e cana-de-açúcar, para a produção de panela granulada.

No entanto, está coordenado com o projeto PRA organizar uma cadeia produtiva de banana orgânica em Salitral.

Implementado por Dante Villalobos